Blog Bugginho Academy

Dando os primeiros passos com o Sublime Text

O Sublime text é um dos mais populares e mais poderosos editores de texto para programadores da atualidade, porem algumas pessoas ainda encontram dificuldades em instalar plugins e configura-lo para fazer mais do que ele traz por padrão.

Nas próximas linhas você aprenderá como configurar o Sublime Text para ficar com a sua cara e otimizar o seu fluxo de trabalho.

Primeiro passo: Instalando o Package Control

Uma vez que o Sublime Text esteja instalado, você precisará instalar o Package Control que é uma ferramenta que vai facilitar a instalação de plugins no Sublime Text. Acesse o site https://packagecontrol.io/ e clique em “installation” na lateral direita, um box será exibido como mostra a figura abaixo

Copie o conteúdo desse box, volte ao Sublime Text, acesse o menu “View / Show console” ou tecle Control + ‘ (Isso mesmo, aspas simples), cole o conteúdo previamente copiado e tecle Enter.

Após alguns segundos o Package Control será instalado. Feche e abra novamente o seu Sublime Text. É agora que a brincadeira vai começar

Pressione Control + Shift + P para exibir o menu de opções do Package Control. Na janela que abrirá digite “Install Package” e pressione Enter. Uma janela como a abaixo será exibida

Para instalar um plugin ou tema, basta digitar o nome do mesmo nesse formulário e pressionar Enter. Listo abaixo alguns dos plugins e Themes que eu acho mais interessante:

  • Emmet
  • SidebarEnhancements
  • Docblockr
  • Alignment
  • SFTP
  • Material Theme (Para quem gosta de tema escuro)
  • Soda (Par quem gosta de tema claro)
  • Dayle Rees Color Schemes (Dezenas de colour schemes)

Para conhecer mais plugins, acesse https://packagecontrol.io/

Caso você não goste de nenhuma dos esquemas de cores que vêm por padrão no Sublime Text, nem do esquema do Material Theme, você pode conferir essa lista com os mais populares themes de 2015 e 2016 para o Sublime Text https://scotch.io/bar-talk/best-sublime-text-3-themes-of-2015-and-2016

Para excluir um plugin ou theme é muito fácil. Pressione Control + Shift + P e digite Remove Package. Uma lista com todos os seus plugins e Themes será exibida, basta selecionar o que você quer excluir e pressionar Enter. 😉

Vamos agora entender o que cada plugin listado acima faz

Emmet

O Emmet é o mais popular entre a galera Front-end. Ele cria uma recurso muito poderoso de autocompletar. Você digita um pequeno trecho de código, conhecido com Zen Code e ele cria as tags HTML para você. Confira o exemplo Abaixo:

SidebarEnhancements

Por padrão a barra lateral do Sublime Text é muito limitada, o plugin SidebarEnhancements cria novas funcionalidades bem interessantes

Docblockr

O plugin Docblockr facilita muito a sua vida na hora de criar comentários, principalmente se você trabalha com Annotations. Você pode ver-lo em funcionamento na página do projeto https://github.com/spadgos/sublime-jsdocs

Alignment

Confesse, as vezes é um pé no saco alinhar Arrays muito grandes. A função desse plugin é justamente lhe ajudar resolver esse problema. Basta selecionar os itens do Array, pressionar Control + Alt + A e pronto, a mágica está pronta. Ex.:

SFTP

Hoje em dia é muito comum fazer deploy com GIT, mas em alguns casos temos que apelar para o bom e velho FTP. O SFTP consegue enviar ou obter um arquivo do servidor com apenas 2 cliques. Vale a pena dar uma conferida https://wbond.net/sublime_packages/sftp

Material Theme

Uma vez que você tenha instalado o Material Theme, você precisa agora ativa-lo. Para isso vá no menu superior “Preferences / Settings” e Digite o código abaixo (o mesmo processo deve ser repetido para qualquer tema que você escolher. Sempre olhe a documentação do tema para saber qual código inserir no arquivo de configurações)

Dayle Rees Color Schemes

O Dayle Rees Color Schemes é uma coleção de Colour Schemes muito vasta, tem para todos os gostos e com certeza algum deles vai lhe agradar. O mais legal é que você pode dar um Preview antes de instalar, aqui nesse site: http://daylerees.github.io/

É possível ainda instalar plugins que facilitarão a sua vida na hora de trabalhar com o Codeigniter, Laravel, Ruby on Rails, Django, AngularJs, VueJs, Jquery, etc…

Algumas pessoas chegam a dizer que com os plugins certos o Sublime Text fica tão poderoso quanto uma IDE, eu acho que não é pra tanto, mas é apenas a minha opinião, independentemente de quem está certo, o Sublime Text é uma ferramenta fantástica e vale muito a pena dar uma conferida.

Até a próxima! 😉

 

Paulo Reis

2 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  • Muito bom Paulo, show de bola. Uso o Sublime há uns 4 anos e posso dizer que é uma ferramenta muito boa para desenvolvimento. Utilizo (já utilizei) com Pascal, Python, Node.js, PHP, Javascript. As possibilidades são infinitas.

    • Obrigado Marcos! Eu sou super chato com editor / IDE e minha “aventura” até encontrar um que me satisfizesse foi longa…

      No começo eu gostava muito do Dreamweaver (Por não ter muitos opções hehehe), porem, depois de um tempo vi que ele não era tão legal então testei o Zend Studio. A nível de PHP eu achei ele bacana, porem na parte de front-end ele deixava muito a desejar… Fora isso, eu sempre procurei algo que tivesse uma interface gráfica minimalista, foi ai que eu achei o Espresso da Mac Rabbit. Ele me agradava muito, porque era bem minimalista e as cores do editor eram perfeitas.

      Antes de achar o Espresso eu testei:
      Notepad++, PHP Editor, PHP Edit, RapidPHP, Taco Editor, TextMate, Aptana Studio, TextWrangler, Coda, komodo ide, BBEdit, Eclipse for PHP, Netbeans for PHP, PHP Designer, etc…

      Confesso que quando vi o Sublime pela primeira vez eu achei feio e muito básico, porem quando vi o que dava para fazer instalando plugins, meus olhos brilharam. Lembro que inicialmente eu configurei ele para ficar visualmente idêntico ao Espresso 🙂

      Trabalhei com o Sublime Text como principal editor por anos, hoje em dia eu uso ele mais para Front-end, quando preciso trabalhar com PHP puro ou fazer pequenas edições, já que para trabalhar com Frameworks como o Laravel o PHP Storm facilita muito a vida.

      Cheguei a testar o Atom também, achei muito bacana, mas achei ele pesado. Em todos os meus computadores ele engasga enquanto o Sublime Text (que ao meu ver é melhor) roda bem mais liso. 😉

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.